O padre amaro, ou Sovéla, politica, historica, e literaria [ed. by J.J. Ferreira de Freitas]. [With] Appendice, Volume 5

Capa

De dentro do livro

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Outras edições - Visualizar todos

Passagens mais conhecidas

Página 6 - Se VAR estiver (o que não é crível) pelo deslumbrado e indecoroso Decreto de 29 de setembro, além de perder para o mundo a dignidade de homem, e de Príncipe, tornando-se escravo de um pequeno número de desorganizadores, terá também que responder perante o Céu, do rio de sangue que decerto vai correr pelo Brasil...
Página 388 - Majesty has since used, and continues to use, his most anxious endeavours and good offices to allay the irritation unhappily subsisting between the French and Spanish Governments ; and to avert, if possible, the calamity of war between France and Spain.
Página 16 - E não será mais acertado conceder-lhe já o que por força se lhe ha de dar? Taes são. Senhor, os votos deste povo. E protestando que vive animado da mais sincera e ardente vontade de permanecer unido a Portugal. pelos vínculos de...
Página 4 - Oceano, onde os suspiros dos vexados perdiam todo o alento e esperança ? Quem o crerá depois de tantas palavras meigas, mas dolosas, de reciproca igualdade e felicidades futuras...
Página 5 - ... de mar, que se atravessa em poucas horas, todavia conserva um Governo Geral, ou Vice-Reinado, que representa o Poder Executivo do Rei do Reino Unido, como poderá vir...
Página 4 - Art. 21 das Bases da Constituição, que approvámos e jurámos, por serem principios de Direito Publico Universal, os Deputados de Portugal se viram obrigados a determinar, que a Constituição, que se fizesse em Lisboa, só obrigaria por ora aos Portuguezes residentes naquelle Reino, e quanto aos que residem nas outras tres partes do Mundo, ella...
Página 6 - Dignando-se acolhel-os e ouvil-os com o amor e attenção, que lhe devem merecer os seus Paulistas. A' Augusta Pessoa de VAR guarde Deos muitos annos.
Página 15 - Alteza Real nos deixa, a desunião é certa. O partido da independência, que não dorme, levantará o seu império, e em tal desgraça, oh! que de horrores e de sangue, que terrível cena aos olhos de todos se levanta!
Página 12 - E' filho das mesmas causas o dissabor, eo descontentamento, com que o povo constitucional e fiel ouviu a moção da extincção dos Tribunaes deste Reino; porque desconfiou que Portugal aspira a reedificar o imperio da sua superioridade antiga, impondo-lhe a dura lei da dependencia, e arrogando-se todas as prerogativas de...
Página 153 - VM me recommendou, mas tambem como tenho buscado, e alcançado ser, que é defensor dos direitos natos de povos tão livres, como os outros, que os querem escravisar. Se ha igualdade de direitos, e somos irmãos, como o...

Informações bibliográficas