Religiões negras no Brasil: Da escravidão à pós-emancipação

Capa
Selo Negro, 7 de nov de 2016 - 384 páginas
Obra que discute a chegada das religiões africanas ao Brasil e sua assimilação e transformação local. Candomblé, curandeirismo e feitiçaria, bem como preconceito e repressão, são alguns dos temas debatidos nesta coletânea, que conta com a colaboração de historiadores como Petrônio Domingues e Luiz Mott.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Conteúdo

Seção 1
Seção 2
Seção 3
Seção 4
Seção 5
Seção 6
Seção 7
Seção 8
Seção 9
Seção 10
Seção 11
Seção 12
Seção 13
Seção 14
Seção 15
Direitos autorais

Sobre o autor (2016)

Flávio Gomes é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, atuando nos programas de pós-graduação em História Comparada e em Arqueologia (Museu Nacional). Possui licenciatura em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1990), bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), mestrado em História Social do Trabalho (1993) e doutorado em História Social (1997), ambos pela Universidade Estadual de Campinas. Publicou livros, coletâneas e artigos em periódicos nacionais e estrangeiros, concentrando-se nos seguintes temas: Brasil colonial e pós-colonial, escravidão, Amazônia, fronteiras e campesinato negro. É um dor organizadores do livro Experiências da emancipação (Selo Negro, 2011). Em 2009, obteve bolsa de estudos (fellowship) da John Simon Guggenheim Foundation. Atualmente desenvolve pesquisas na área de história comparada, concentrando-se nos temas da cultura material e escravidão na América Latina e Caribe (especialmente Brasil, Venezuela, Colômbia, Guiana Francesa e Cuba). Valéria Gomes Costa é doutoranda em História Social pela Universidade Federal da Bahia, licenciada e mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco. Atuou como professora de pós-graduação (especialização) em Ensino de História e Ensino de História das Artes e das Religiões na UFRPE (2004-2009), onde também foi professora substituta (2007). Entre suas principais publicações estão: É do dendê! Histórias e memórias urbanas da nação Xambá no Recife (Annablume, 2009); "Herdei e deixei de herança! Africanos e crioulos no Recife pós-emancipação" (Revista do Instituto Arqueológico, Histórico, Geográfico Pernambucano, 2001) e "Práticas culturais femininas e constituição de espaços num terreiro de xangô de nação Xambá" (Afro-Ásia, n. 36, 2007).

Informações bibliográficas