Rimas. Tom. 1, 3a ed.; 2; 3, 2a ed

Capa
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Outras edições - Visualizar todos

Passagens mais conhecidas

Página 22 - Impos tropel de heróis silencio ao globo, O imortal corifeu dos cisnes lusos Na voz da lira eterna alçou meu nome. Adejai, versos meus, ao Sena ufano De altos...
Página 183 - Aqui parou de cançado O volatil carpidor ; Eis que vê chegar da cara O seu barbaro senhor. Trazia encostado ao hombro O arcabuz fatal, e horrendo, E alguns passaros no cinto, Uns mortos, outros morrendo. Das penetrantes feridas Ainda o sangue pingava, E do cruento verdugo As curtas vestes manchava. O preso vendo a tragedia, Coitadinho, estremeceu, E de susto, e de piedade Quasi os sentidos perdeu.
Página 182 - Não tem por base a justiça. Funda-se em nossa fraqueza A lei, que a vós nos submete, Tiranos da Natureza ! «Em ofensa das deidades, Em nosso dano abusais Da primazia, que tendes Entre os outros animais. «Mas ah triste! Ah malfadado ! Para que me queixo em vão? Que espero, se contra a força De nada serve a razão?
Página 10 - Magro, de olhos azuis, carão moreno, Bem servido de pés, meão na altura, Triste de facha, o mesmo de figura, Nariz alto no meio, e não pequeno...
Página 136 - Sois mancha, não sois gloria á Natureza, Sois do mundo o .veneno, a peste, a morte. ., Alcino, eu desespero, Alcino, eu morro ! Tu, que aos delirios meus a origem sabes, Que os meus extremos viste, eo premio d'elles, E que fructo colhi, que fructo acerbo, Vê se Amor, se a Razão merecem culto, Vê, quaes são: ella fracu!
Página 16 - Se é doce, no recente, ameno estio, Ver toucar-se a manhã de etéreas flores, E lambendo as areias e os verdores, Mole e queixoso deslizar-se o rio; Se é doce...
Página 16 - Que esperta os corações, floreia os prados: Mais doce é ver-te, de meus ais vencida, Dar-me em teus brandos olhos desmaiados Morte, morte de amor, melhor que a vida.
Página 200 - Não de um deus inferior, porém d'aquelle Que o sceptro universal na mão sustenta, E o raio irresistivel arremessa. Não, não fujas de mim.
Página 179 - Correm tempos, eo destino De Lysia outra vez se altera ; No berço Bellona fera Bafeja real menino : Cresce, e infausto desatino O move contra Mulei...
Página 224 - Dos mentirosoi feitos , se não queres „ Longe , ma.is longe ainda o Pai que ostentas. „ E , ajuntando a violencia aos ameaços , Intenta repellir além das portas Persêo, .que lhe resiste, e substitue Palavras fortes a palavras brandas. N»s forças inferior se reconhece: • Quem podi...

Informações bibliográficas