Agricultura no Brasil do século XXI

Capa
Metalivros, 2013 - 295 páginas
1 Resenha
'Agricultura no Brasil do Século XXI' é o panorama de todo o ciclo produtivo da agricultura no País e combina de maneira bem orquestrada dois olhares que se completam; um, analítico-sistêmico, de Evaristo Eduardo de Miranda, e outro, um retrato visual garimpado na Pulsar Imagens, de Delfim Martins e equipe, complementado por imagens de satélite state of art. Esclarece ao público da cidade a complexidade do campo e, ao mesmo tempo, enaltece a identidade do agricultor do século XXI.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

As áreas urbanas imaginam a agricultura brasileira como algo distante. Geograficamente, ela ocorreria lá pelo interior do Brasil, no mundo rural, afastada as cidades. Essa visão mítica precisa ser superada. A distinção entre cidade e campo atenuou-se, e muito. Cidadãos vivem no campo. Agricultores moram em cidades e trabalham na roça. O campo está industrializado. Pequenos produtores, conectados às redes de informação, utilizam tecnologias de ponta, num grande esforço de profissionalização.
Este livro mostra como a agricultura brasileira está presente no cotidiano das cidades, desde os pneus dos automóveis abastecidos com etanol, até o papel dos livros e impressoras, passando pelo vestuário, pelos móveis e utensílios domésticos, pelos medicamentos e nos alimentos consumidos.
Construído em bases técnicas, após uma introdução sobre principais características atuais da agricultura brasileira, o livro apresenta em sua primeira parte o conjunto da produção brasileira de alimentos vegetais (grãos, tubérculos, frutas, hortaliças, amêndoas, palmitos etc.) e animais (carnes, leite e laticínios, ovos, piscicultura etc.), ilustrado com fotografias excepcionais e diversas imagens de satélite. Num segundo bloco, ele traz um panorama da produção de energia pela agricultura: combustíveis sólidos (lenha e carvão vegetal), líquidos (etanol e biodiesel), gasosos (biogás) e a cogeração de energia elétrica com bagaço de cana-de-açúcar, sabugo de milho e outros resíduos. Em seu terceiro bloco, o livro apresenta a enorme produção de fibras (celulose, algodão, juta, sisal, vime, lã, seda e outras) e seus usos domésticos e industriais. O livro destaca no último bloco produtos diferenciados como flores, plantas medicinais, borracha, tabaco, madeiras, produtos orgânicos e plantas estimulantes como guaraná, mate, chá, cacau e café.
O prefácio é do ex-ministro, agrônomo e produtor rural Roberto Rodrigues. A obra destina-se prioritariamente ao público não familiarizado com o mundo rural e sua dinâmica recente. Pela primeira vez um livro apresenta a agricultura brasileira, em linguagem leve e atraente, ilustrada por fotos e imagens de satélite surpreendentes. Além de gerar divisas e manter equilibrada a balança de pagamentos do país, a agricultura é o berço de verdadeiros tesouros culturais, marcas da identidade profunda do povo brasileiro.
 

Informações bibliográficas