Livro do centenario (1500-1900) ...

Capa
Imprensa nacional, 1900
0 Resenhas
As avaliações não são verificadas, mas o Google confere e remove conteúdo falso quando ele é identificado
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Outras edições - Ver todos

Passagens mais conhecidas

Página 26 - Parte do antigo bosque, escuro, e negro, Onde ao pé de uma lapa cavernosa Cobre uma rouca fonte, que murmura, Curva latada de jasmins, e rosas.
Página 42 - SOZINHA; ninguém me procura! Acaso feitura Não sou de Tupá! Se algum dentre os homens de mim não se esconde: — "Tu és,
Página 27 - Em negro sangue o livido veneno. Leva nos braços a infeliz Lindoya O desgraçado irmão, que ao despertal-a Conhece, (com que dor!) no frio rosto Os signaes do veneno, e vê ferido '| Pelo dente subtil o brando peito.
Página 31 - Ah! minha Bela, se a Fortuna volta, Se o bem, que já perdi, alcanço, e provo; Por essas brancas mãos, por essas faces Te juro renascer um homem novo; Romper a nuvem, que os meus olhos cerra, Amar no Céu a Jove, ea ti na terra.
Página 47 - Disse-me, quando a minh'alma Em saudades lhe deixei : E agora esta saudade Tão triste e pálida. . . assim Como a saudade que geme Por ela dentro de mim ! . . . A namorar-me os sentidos ! A fascinar-me a 'razão!. . Julgo que sinto a voz dela Falar-me no coração ! Exulta, minh'alma, exulta ! . . . Aos meus lábios, flor louçã ! No meu peito.
Página 25 - E indo a dizer o mais, cai num desmaio. Perde o lume dos olhos, pasma e treme, Pálida a cor, o aspecto moribundo; Com mão já sem vigor, soltando o leme, Entre as salsas escumas desce ao fundo. Mas na onda do mar, que, irado, freme, Tornando a aparecer desde o profundo, — Ah! Diogo cruel!
Página 112 - Sonho as mais azuis diafaneidades que fuljam, que na Estrofe se levantem e as emoções, todas as castidades da alma do Verso, pelos versos cantem. Que o pólen de ouro dos mais finos astros fecunde e inflame a rima clara e ardente... Que brilhe a correção dos alabastros sonoramente, luminosamente.
Página 30 - Esses homens de vários acidentes. Pardos e pretos, tintos e tostados, São os escravos duros e valentes. Aos penosos serviços costumados: Eles mudam aos rios as correntes. Rasgam as serras, tendo sempre armados Da pesada alavanca e duro malho Os fortes braços feitos ao trabalho.
Página 25 - Bárbaro, se esta fé teu peito irrita, (Disse, vendo-o fugir), ah não te escondas; Dispara sobre mim teu cruel raio...

Informações bibliográficas