Sofrer sem nunca deixar de amar

Capa
Canção Nova, 23 de fev de 2016 - 176 páginas
0 Resenhas
Sofrer sem nunca deixar de amar é um relato de coragem, no qual Luzia Santiago lembra que todos nós temos sofrimentos na vida, mas a única força capaz de vencer o mundo é o amor. Baseado em sua experiência pessoal, Luzia nos convida a entender que tudo ocorre para o bem daqueles que amam a Deus. Atingida pela misericórdia de Deus, superou o desânimo, a tristeza e a morte, porque descobriu uma receita infalível: sofrer e amar. Como a pequena flor que nasce em pleno solo do deserto da Judeia, nossa vida é repleta de desafios e beleza. É necessário força e determinação para nos tornarmos vencedores na fé e no amor, mesmo diante dos sofrimentos. "O amor de Deus derramado em nossos corações nos concede o dom de suportar todas as dificuldades da vida. É ele que nos faz capazes de amar uns aos outros".
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Prefácio
7
Jamais te abandonarei
13
A oração move o Céu
25
O perdão é a chave de tudo
37
Deus cuida de nós
49
Quem ama luta
63
Amar é interceder
77
A luta da fé
91
Meu estandarte é Cristo
105
Esperar somente em Deus
113
Deus em primeiro lugar
123
Prisioneiros do Espírito
131
A oração no sofrimento
143
O amor sempre vence
155
Direitos autorais

Outras edições - Visualizar todos

Termos e frases comuns

Sobre o autor (2016)

Luzia Santiago é missionária e cofundadora da Comunidade Canção Nova, na qual trabalhou desde o início com Padre Jonas. Membro do Conselho Deliberativo da Fundação João Paulo II (FJPII), é formada em Serviço Social e casada, desde 1990, com Wellington Silva Jardim, conhecido como Eto. É autora e apresentadora dos programas 'O Amor Vencerá' e 'Sorrindo pra Vida' na TV Canção Nova, os quais são disponibilizados, diariamente, para o Sistema de Rádio. Além de manter uma coluna diária no portal Canção Nova, onde disponibiliza mensagens de amor e esperança, interage com os internautas através do twitter.

Informações bibliográficas