Historia de Portugal, Volume 1

Capa
Bertrand, 1887
0 Resenhas
As avaliações não são verificadas, mas o Google confere e remove conteúdo falso quando ele é identificado
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo


Passagens mais conhecidas

Página 170 - Manifesto é que estes descobrimentos de costas, ilhas e terras firmes não se fizeram indo a acertar; mas partiam os nossos mareantes mui ensinados e providos de instrumentos e regras de astrologia e geografia, que são as cousas de que os cosmógrafos hão de andar apercebidos. Levavam cartas mui particularmente rumadas, e não já as que os antigos usavam, que não tinham mais figurados que doze ventos, e navegavam sem agulha».
Página 184 - Não é este, porém, o caso ? então, deixem-nos em paz, porque a terra ea abundância dela é do Senhor, que faz nascer o sol sobre os bons e os maus, e dá de comer a todas as aves do céu».
Página 128 - Do justo e duro Pedro* nasce o brando (Vede da natureza o desconcerto), Remisso e sem cuidado algum, Fernando, * Que todo o reino pôs em muito aperto; Que, vindo o castelhano * devastando As terras sem defesa, esteve perto De destruir-se o reino totalmente; Que um fraco Rei faz fraca a forte gente.
Página 5 - Há no génio português o que quer que é de vago e fugitivo, que contrasta com a terminante afirmativa do castelhano ; há no heroísmo lusitano uma nobreza que difere da fúria dos nossos vizinhos; há nas nossas letras e no nosso pensamento uma nota profunda ou sentimental, irónica ou meiga, que em vão se buscaria na história da civilização castelhana, violenta sem profundidade, apaixonada mas sem entranhas, capaz de invectivas mas alheia a toda a ironia, amante sem meiguice...
Página 41 - ... ao hombro, conduzindo as ovelhas, a vara de porcos, gordos como texugos, ou a boiada loura de longas hastes. O sol ardente dá tom a todas as cores, vida a todos os movimentos: suffoca-se.
Página 230 - Grande sobre as ondas, em lucta com os temporaes, é a imagem da nação, cuja grandeza está na coragem e na teima com que soube vencer o Mar Tenebroso. Um terramoto agitou o mar da índia quando o Gama pela segunda vez o trilhava ; eo almirante, imagem da bravura épica do povo portuguez, acreditou e disse que até as...
Página 47 - Ó vergonha e grande cobiça dos homens, que por haver as desventuras dos metais cavam tanto a terra que lhe tiram fora as tripas, derribam grandes outeiros, abaixam ásperas e altíssimas serras...
Página 202 - Princesa um breve conforme a sua tenção, que era quere-la servir nas festas do seu casamento, e sobre conclusão de amores desafiou para justas d'armas com oito mantedores a todos os que o contrairo quizessem combater.
Página 201 - ElRei entrou primeiro para desafiar a justa que havia de manter com invenção e nome do cavalleiro do Cirne, e veio com tanta riqueza e galantaria quanta no mundo podia ser. Entrou pelas portas da sala com nove bateis grandes, em cada um seu mantedor, e os bateis mettidos em ondas do mar feitas de pano de linho e pintadas de maneira que parecia agua ; com grande estrondo de artelharia que tirava, e trombetas, atabales, e...
Página 202 - ... de dentro tantas perdizes vivas e outras aves, que toda a sala foi posta em revolta e cheia d'aves que andavam voando por ella até que as tomavam. E...

Informações bibliográficas