Imagens das páginas
PDF
ePub

sessem que ali ho auião dachar onde esperaua de as desbaratar. E dali por diante ho mais do tempo andaua de largo & de dia surgia , & de noyte andaua á vela, hứa volta ao mar outra a terra por lhe não escapar nenhựa nao como pão escapaua. E andando assi hûa madrugada tomou hů barco que saya de Coulão pera ir a hừa nao que ele deixara ir & no barco tomou algûs mouros de Calicut, & conhecendo que erão de lá: porque lhe pareceo que poderià ser culpados na morte daquele home nosso da feytoria que fora morto ás cutiladas mandaua que os enforcassem: o ğ se ouuera de fazer se lhe os regedores da cidade não mandarão pedir que sobrestevesse ate lhe fazerem certo como os mouros nå erào de Calicut se não naturais de Coulão: & assi ho prouarão, & por isto escapară. E despois disto tomou duas paos & roubou as, & assi como vigiaua é Coulão assi ho fazia Pero rafael em Cochim , & por isso ouue aquele anno a mais fermosa carrega pera as nossas naos, que nûca despois ouue: o que se fez cỏ muyto trabalho & perigo, assi do capitão mór como dos seus.

CAPITOLO XC.

De como Lopo soarez partio pera a India por capitão

mór da aimada que foy no anno de mil & quinhếtos

go quatro. Neste anno de mil & quinhềtos & quatro sabədo el rey de Portugal como el rey de Calicut ficaua de guerra com os nossos, mãdou em sen fauor húa armada de doze naos grossas, & deu a capitania mór delas a hů fidalgo chamado Lopo soarez, que em tempo del rey dom João ho segundo fora capitão na Mina. E os capitães desta armada forão Pero de mědoça, Lionel coutinho, Tristão da silua , Lopo mendez de vasconcelos , Lopo dabreu, Felipe de crasto, Afonso lopez da costa, Pedrafoso daguiar, Vasco da silueira, Vasco carualho, Pero dinis de Setuuel todos fidalgos & cavaleyros , & que forão por capitães naquela viagě da India : & todos leuauão consigo boa gěte de peleja & bề armada. E despachado se partio de Lisboa a vinte dous dias Dabril do inésmo anno: & continuando sua viagem aos dous dias de Mayo foy na parajem do cabo verde : & fazendo aqui ajuntar os capitães, mestres & pilotos da armada lhes fez hứa fala, trazêdolhes aa memoria quão tarde partirão de Portugal: & por isso tinhão necessidade de terem grande diligěcia & não fazerem os desmanchos que se ateli fizerão, & todos por mao recado, assi como foy dar hüa nao pola capitaina , & outras duas por outras: no que se correra grade perigo & assi não seguirem algûs de noyte ho seu forol, & hûs yão diante outros ficauão atras : & algus a balrauento por onde se poderião perder hüs dos outros : & por atalhar a isso, & pera bõ regimento da armada fez hùa postura escrita pelo seu escriuão, & assinada por ele & por os outros capitães q todas as naos seguissem de noyle seu forol, ficando detras da sua nao: & ở em nhũa nao ouuesse de noyte outro fogo se não a candea da bitacora , & dělro na camara do capitão, & q vigiassem os mestres & os pilolos , & teuessẽ gräde tento que hừa nao não desse por outra, & que lhe respondessem quãdo fizesse sinal, & que ho salaassem de dia , & não passassem diante dele de noy

& quem fizesse ho contrairo pagasse dez cruzados & fosse preso ate a India sem vencer soldo. E porğ algủs mestres & pilotos eră negrigêtes & por sua culpa dauả hữas naos pelas outras mandou os mudar das em que yảo pera outras. E coesta diligěcia que fez foy dali por diante a armada em boa ordem & não se fez nhů mao recado. E indo assi no mes de Junho que se fazião na volta do cabo de boa Esperança sobreueolhe hum dia hum muy forte temporal de vento com que toda a frota correo dous dias & hùa noyte aruoreseca com muyto grăde perigo de se perderị: & era a çarração tamanha que mais parecia noyte que dia. E passados estes dous dias virão sinais de terra que pareceo a todos que serião perto dela : & por essa causa era a çarração tamanha, ở despois de verè estes sinais foy muyto mayor. E por isso mandou Lopo soarez q a cada relogio tirassẽ na sua nao duas bõbardadas a que as outras respondessem: porque se não perdessem hìas das outras. E acabada esta tormenta , achouse menos a nao de Lopo mnendez , que vendo Lopo soarez que não parecia seguio seu caminho. E logo a poucos dias deu hìa nao tamanha pancada em outra que abrio tanto pela roda que se via dětro muyto bem , & entroulhe tanta agoa de roldão que se ya ao fundo. Lopo soarez arribou logo sobrela & chegou tão perto que podião ouuir ho esforço que daua aa gente dizendo que trabalhassem por tomar a agoa sem medo de se perderem: porque ele lhes acodiria como acodio com gente que mandou no seu batel, posto que ho mar andaua grosso & corria ho batel risco de se perder. E coisto trabalhou tanto a gente da nao, que quando anoyteceo acabou de tomar ametade da agoa : & pera se tomar a outra que ficaua, mandou Lopo soarez que naquela nao.se fizesse ho forol, & os capitães a seguissem pera lhe acodirem se teuesse necessidade. E abonãçando ho tempo ao outro dia a agoa foy tomada de todo com hûs couros que pregarão & brearão. Passado este perigo sem mais lhe acontecer cousa que de contar seja, chegou a Moçambique è dia de Santiago, onde ho xeque lhe fez grande recebimělo, & The mandou muytos mantimentos, & lhe deu a carta de Pero dataide que lhe deixou antes q morresse, como ja disse. E sabendo per ela a guerra del rey de Calicut com os nossos, concertada a nao que tirou a monte se partio pera Melinde ho primeyro Dagosto. E chegado ao seu porto el rey ho mãdou visitar por Adebucar hů mouro muyto honrrado, porquè lhe mandou os dezaseys nossos que escaparão da nao de Pero dataide. E passados dous dias partiose caminho da India & chegou a Anjadiua, onde achou Antonio de saldanha & Ruy Lourenço que hi in

te,

[blocks in formation]

vernarão como disse atras, ở quãdo virão lamanha frota cuydarão que era de rumes.

CAPITOLO XCI.

Como ho capitão mór Lopo soarez chegou a Cananor g

se vio com el rey. Estando

do aqui Lopo soarez veo hi ter Lopo mendez de vasconcelos que se perdera de sua conserua cõ tempo, & despois de vindo se partio pera Cananor , õde chegou ho primeyro de setěbro : & ali soube do feytor a guerra delrey de Calicut: & como ele cổ os outros nossos ģ estauã em Cananor , se virão per muytas vezes è perigo de morte. E ao outro dia despois q chegou foy a terra pera se ver cõ el rey de Cananor: & forão coele todos os capitães da frota ē seus bateis vestidos de festa cô os ở os acompanhauão, & os baleis embandeirados & altis lhados. Ho de Lopo svarez ya toldado & alcatifado, & ele assentado enn hüa cadeira despaldas de veludo carmesim com almofadas do mesmo aos pés : leuaua hů gibảo de celim de cores feyto em enxadrez , & hủas calças desta maneyra, hûs çapatos de veludo negro com muytas põtas douro miudas, & hum barrete cổ outras grossas: hứa roupa francesa de veludo negro apertada com hů cinto de fio douro, com hů punhal & bracamarte douro, & hủ colar de tres voltas feyto dalcatruzes esmaltados, & nele hů apito douro esmaltado. Leuaua dous pajes vestidos como ele, & seys trombetas.com bandeiras de seda , leuaua hûs orgãos que lhe yão tangendo em hum esquife junto do seu batel, & nele hum presente pera el rey de Cananor ở lhe mandaua el rey . de Portugal. s. seys colchões dolanda , dous trauesseiros enfronbados com suas almofadas, tudo laurado douro: dous cubertores de veludo carmesim , & ho decima quarta pisado de tres tiras de borcado: a do meo de largura dů palmo, & as outras de tres dedos: bù leyto dourado co cortinas de cetiin carmesim com a forcadura de fio douro. E quando Lopo soarez se desamarrou das naos desparou toda a artelharia & despois tocarão as trombetas & atabales, & em acabãdo começarão os orgãos que forão tangendo ale chegarem a terra õde auia grande multidão de mouros & de gentios que sayão a ver Lopo soarez , que desembarcado se meteo em hữ çarame q pera isso estava feyto junto do mar: & nele foy armado ho leylo & feyta a cama , & junto coele hů estrado em q se ho capitão mór assentou. El rey de Cananor quando veo leuaua diante tres alifantes armados como pera pelejarem , & detras hü esquadrà de tres mil Naires despadas, & escudos , & lanças: & outro de dous mil frecheiros. E detras destes ya el rey em hů andor muyto rico. E chegando ao carame desparou toda a nossa artelbaria. Lopo soarez recebeo el rey aa porta do çarame: & despois de se abraçarem , lhe apresentou a cama : em que se el rey logo lançou , & ele se assentou no estrado, & ali esteuerão falando por espaço de duas horas. E neste tempo hù seu lebré quisera filhar hů dos alifãtes : & porğ ho tinhão preso daua saltos & huyuos q não auia què se ouuisse, nề què ho teuesse: o q foy causa de se el rey & Lopo soarez deterè menos do q se ouuerão de deter. Despois desta vista cổ el rey chegou hů mouro de Calicut cổ que vinha hů moço Portugues que leuaua a Lopo soarez hûa carta dos nossos q ficarão catiuos do tëpo de Pedraluarez, em que dizião que el rey de Calicut ficara tão quebrado da guerra que teuera co'm Duarte pacheco q se metera no turcol dauorrecido do mundo: & que muytos mouros desesperados de terem trato em Calicut se foră morar a outras partes : & por isso auia em Calicut grande fome. Pelo que el rey de Calicut & ho principe & seus regedores, & assi todos os moradores de Calicut desejauão de ter paz cổ os nossos. E determinando ja de a mădar pedir, derão licença aos nossos q estauão caljuos que Īhe escreuessem aquela carta que The escriuião : assi pe

« AnteriorContinuar »