Imagens da página
PDF
ePub

ESTANCIAS

DESPREZADAS E OMITTIDAS POR LUIZ DE CAMÕES

NA PRIMEIRA IMPRESSÃO DO SED POEMA

COWOME OS DOIS «AMSCRIPTOS DESCOBERTOS POR 1AMEI DE FARIA E SOISA

PRIMEIRO MANUSCRIPTO

No canto i, depois da estancia Lxxvn, havia mais duas, e a mesma Lxxvii com a mudança que aqui se verá:

Isto dizendo, irado e quasi insano,
Sobre a Thebana parte descendeo,
Onde vestindo a forma e gesto humano,
Para onde o sot nasce se moveo.
Já atravessa o mar Mediterrano,
Já de Cleopátra o reino discorreo;
Já deixa á mão direita os Garamantes,
E os desertos de Lybia circumstantes.

Já Meroe deixa atraz, e a terra ardente,
Que o septemfluo rio vai regando,
Onde reina o mui sancto Presidente,
Os preceitos de Christo amoestando:
Já passa a terra de aguas carecente,
Que estão as alagôas sustentando;
D'onde seu nascimento tem o Nilo,
Que gera o monstruoso crocodilo.

[ocr errors]

D'aqui ao cabo Prasso vai direito;
E entrando em Moçambique, nesse instante
Se faz na forma Mouro contrafeito,
A hum dos mais honrados similhante.
E como a seu regente fosse acceito,
Entrando hum pouco triste no semblante,
Desta sorte o Tbebano lhe fallava,
Apartando-o dos outros com que estava.

No mesmo canto i, depois da estancia Lxxx, havia de mais a que se segue:

E para que dês credito ao que fallo,
Que este capitão falso está ordenando,
Sabe que quando foste a visitallo
Ouvi dous neste caso estar fallando:
No que digo não faças intervallo,
Que eu te digo, sem falta, como, quando
Os podes destruir; que he bem olhado
Que quem quer enganar fique enganado.

No canto m, depois da estancia x, havia de mais no manuscripto a seguinte:

Entre este mar, e as aguas onde vem
Correndo o largo Tánais de contino,
Os Sarmátas estão, que se mantem
Bebendo o rôxo sangue, e leite equino.
Aqui vivem os Míssios, que tambem
Têe parte de Asia; povo baixo e indino;
E os Ábios que mulheres não recebem;
E muitos mais que o Borysthenes bebem.

No mesmo canto m, em logar da estancia xxix, havia esta:

Mas a iniqua mãe seguindo em tudo
Do peito feminil a condição,
Tomava por marido a dom Bermudo,
E a dom Bermudo a toma hum seu irmão.
Vêde hum peccado grave, bruto e rudo,
De outro nascido! Oh grande admiração!
Que o marido deixado vem a ter
Quem tem por enteada e por mulher.

No canto iv, á estancia ir, se seguiam estas tres:

Sempre foram bastardos valerosos
Por letras ou por armas, ou por tudo;
Foram-o os mais dos deoses mentirosos,
Que celebrou o antigo povo rudo.
Mercurio, e o docto Apollo são famosos
Por sciencia diversa e longo estudo;
Outros são só por armas soberanos:
Hercules e Lyeu, ambos Thebanos.

Bastardos são tambem Homero e Orpheo,
Dous a quem tanto os versos illustraram;
E os dous de quem o imperio procedeo,
Que Troia e Roma em Italia edificaram.
Pois se he certo o que a fama já escreveo,
Se muitos a Philippo nomearam
Por pae do Macedonico mancebo,
Outros lhe dão o manho Nectanebo.

Assi o filho de Pedro justiçoso,
Sendo governador alevantado
Do reino, foi nas armas tão ditoso,
Que bem pôde igualar qualquer passado.
Porque vendo-se o reino receoso
De ser do Castelhano sujugado,
Aos seus o medo tira, que os alcança;
Aos outros a falsifica esperança.

iNo mesmo canto iv, depois da estancia xi, havia a seguinte

Nem no reino ficou deTarragona
Quem não siga de Marte o duro officio:
Nem na cidade nobre, que se abona
Com ser dos Scipiões claro ediftcio.
Tambem a celebrada Barcelona
Mandou soldados dextros no exercicio:
Todos estes ajunta o Castelhano
Contra o pequeno reino Lusitano.

TOM. VI

Ahi mesmo, depois da estancia xm, se lia esfoutra:

Oh inimigos máos da natureza
Que injuriaes a propria geração!
Degenerantes, baixos! Que fraqueza
Do esforço, de saber e de razão,
Vos fez, que a clara estirpe que se presa
De leal, fido e limpo coração,
Offendais dessa sorte? Mas respeito
Que este dos grandes he o menor defeito.

No mesmo canto iv, em logar da estancia xxi, apparecia no manuscripto a seguinte:

Qual o mancebo claro, no Romano
Senado, os grandes medos aquebranta
Do grão Carthaginez, que soberano
Os cutelos lhe tinha na garganta;
Quando ganhando o nome de Africano
A resistir-lhe foi com furia tanta,
Que a patria duvidosa libertou,
O que Fabio invejoso não cuidou.

Pouco mais abaixo, depois da estancia Xxvii, apparecia esta:

Já a fresca filha de Titão trazia
O sempre memorando dia, quando
As vesperas se cantam de Maria,
Que este mez honra, o nome seu tomando.
Para a batalha estava já este dia
Determinado: logo, em branqueando
A alva no ceo, os Reis se apparelhavam,
E as gentes com palavras animavam.

No mesmo canto iv, depois da estancia xxxm, havia esta:

E vós Imperadores, que mandastes
Tanta parte do mundo, sempre usados
A resistir os asperos contrastes
De traidores crueis e alevantados:
Não vos queixeis: que agora se attentastes,
Hum dos mais claros Reis, e mais amados,
Vê contra si, contra seu reino e lei,
Seus vassallos por outro estranho Rei.

No mesmo canto iv, depois da estancia xxxv, appareciam as tres que se guem:

Passaram a Giraldo co'as entranhas
O grosso e forte escudo, que tomara
A Perez que matou, que o seu de estranhas
Cutiladas desfeito já deixara.
Morrem Pedro e Duarte (que façanhas
Nos Brigios tinham feito) a quem criara
Bragança: ambos mancebos, ambos fortes,
Companheiros nas vidas e nas mortes.

Morrem Lopo e Vicente de Lisboa,
Que estavam conjurados a acabarem,
Ou a ganharem ambos a coroa
De quantos nesta guerra se afamarem.
Por cima do cavallo Affonso voa;
Que cinco Castelhanos (por vingarem
A morte de outros cinco, que matára)
O vão privar assi da vida chara.

De tres lanças passado Hilario cai;
Mas primeiro vingado a sua tinha;
Não lhe peza porque a alma assi lhe sai,
Mas porque a linda Antonia netle vinha:
N O fugitivo esp'rito se lhe vai,

E nelle o pensamento que o sostinha;
E saindo da dama, a quem servia,
O nome lhe cortou na bocca fria.

N'este mesmo canto iv, em logar da estancia xxxix, havia no manuscripto que aqui segue:

Favorecem os seus com grandes gritas
O successo do tiro; e elle logo
Toma outra: (que jaziam infinitas
Dos que as vidas perderam neste jogo)
Corre enrestando-a forte; e d'arte incita
Á brava guerra os seus, que ardendo em fogo
Vão ferindo os cavallos de esporadas,
E os duros inimigos de lançadas.

« AnteriorContinuar »