História dos jornais no Brasil

Capa
Companhia das Letras, 19 de fev de 2015 - 560 páginas
0 Resenhas
Pesquisa inédita recupera história dos jornais no Brasil de 1500 até 1840. Jornalistas, professores, estudantes e aficionados da imprensa no Brasil costumam lamentar a falta de trabalhos sobre a história da atividade no país. Resultado de décadas de pesquisa, este livro do jornalista Matías Molina vem preencher o vazio. O projeto prevê a publicação de três volumes capazes de abarcar toda a história da imprensa no país, desde suas primeiras manifestações no Brasil colônia até os dias atuais. O primeiro volume aborda a imprensa no período colonial, no tempo em que o Rio de Janeiro era sede da Corte, estende-se até a época da Independência, quando os jornais foram palco de renhidas disputas políticas, e termina com a ascensão de D. Pedro II ao poder, na década de 1840. Como epílogo, traz uma análise dos fatores que condicionaram o desenvolvimento da imprensa no país e ajudam a explicar a baixa penetração dos jornais na sociedade brasileira. No segundo volume, Molina tratará dos jornais da cidade do Rio de Janeiro a partir do Segundo Império, num arco que virá até o início do século XXI. No terceiro, terá como tema os jornais da cidade de São Paulo no mesmo período. Apesar da existência de um conjunto de obras sobre o assunto, elas costumam ser de alcance restrito: ou o enfoque é apenas regional, ou são muito antigas e desatualizadas, ou ainda marcadas por forte recorte ideológico. Pela primeira vez, o leitor tem acesso a uma compreensão ampla de como o jornalismo foi forjado e construído no Brasil. Primeira etapa de um grandioso empreendimento, este volume dá a dimensão do escopo e rigor do projeto e ainda comprova o engenho do autor, um dos poucos no país capazes de produzir um trabalho tão minucioso quanto necessário.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Sobre o autor (2015)

O jornalista Matías Martínez Molina nasceu em Madri e se licenciou em história pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Foi editor-chefe do grupo de revistas técnicas da editora Abril, onde lançou a revista Exame. Editou a seção de economia da Folha de S.Paulo foi correspondente em Londres e editor-chefe da Gazeta Mercantil. É autor do livro Os melhores jornais do mundo.

Informações bibliográficas