O tecnobrega no contexto do novo paradigma de legitimação musical

Capa
Appris Editora e Livraria Eireli - ME, 1 de jan. de 2015 - 255 páginas
A pesquisa apresentada neste livro aponta uma tendência de mudança nos critérios de validação da música popular (periférica) contemporânea, com base na análise do circuito paraense do tecnobrega. O estilo, que emergiu em Belém do Pará, no início dos anos 2000, como versão atualizada de uma tradição musical socialmente estigmatizada - a música brega -, introduziu a informalidade no negócio da música no país, puxando os números de uma indústria paralela milionária, com composições 100% eletrônicas e o comércio informal de discos. Manifestação artística que, apesar da alegada inadequação às sensibilidades bem treinadas, viu-se legitimada pelo establishment midiático, com status de cultura periférica digitalizada conectada às vanguardas musicais globais. A importância deste trabalho reside no fato de revelar uma tendência mercadológica que, em sua feição mais progressista, abre frente no terreno midiático à "economia da cultura", gestada na informalidade das "novas indústrias culturais", e que, em sua linha mais conservadora, evidencia a necessidade de reinvenção do establishment cultural, com base na constatação da irreversibilidade do acesso horizontal às formas culturais em circulação.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Termos e frases comuns

Informações bibliográficas