Raquel Arnaud e o olhar contemporâneo

Capa
COSAC NAIFY, 2005 - 189 páginas
0 Resenhas
Composta de abrangente entrevista e estudos críticos, esta monografia é o resultado de toda uma vida dedicada às artes visuais no Brasil. Dos anos 60 à atualidade, desde seu ingresso nesse universo, no Museu de Arte de São Paulo, sob a tutela do professor Pietro Maria Bardi, até a formulação e a execução do IAC (Instituto de Arte Contemporânea) a ser inaugurado em futuro próximo, passando pelos vários e sempre estratégicos endereços de seu Gabinete de Arte, Raquel Arnaud omitiu em sua biografia a vida pessoal e deu espaço exclusivo à sua trajetória como marchand, fomentadora cultural e formadora de opiniões. Como Annily Judda, na Inglaterra, e Denise René, na França, Raquel Arnaud, no Brasil, abarcou um dos segmentos das artes visuais de maior importância no século XX; a abstração geométrica e seus tantos desdobramentos. Artistas como Lygia Clark, Hércules Barsotti, Willys de Casto, Amílcar de Castro, Arthur Luiz Piza, Mira Schendel, Cruz-Diez, Franz Weissmann, e sobretudo, seu grande amigo Sergio Camargo, expuseram em seus muitos espaços e tiveram suas obras registradas através de impecáveis publicações diagramadas por Fernando Lemos, na Galeria Arte Global, onde atuou como diretora, e posteriormente, por Willys de Castro e Waltercio Caldas, em seu próprio espaço. O volume é ilustrado com centenas de fotos de arquivo pessoal que constituem, por si, um documento da arte contemporânea brasileira.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas