Fé em Deus e pé na tábua: Ou como e por que o trânsito enlouquece no Brasil

Capa
Editora Rocco, 16 de ago. de 2012 - 192 páginas
O trânsito nas grandes cidades brasileiras é unanimemente considerado caótico – com uma alta carga de agressividade e violação das leis que causam um grande número de acidentes e mortes. À parte a responsabilidade do Estado pela manutenção das estradas e ruas, tanta tragédia sobre rodas pode ser atribuída principalmente à cultura do brasileiro em dispor do espaço público como seu e de mais ninguém. "Fechar", "furar" e "dar um balão" são as versões do popular "jeitinho brasileiro" usadas por motoristas no dia a dia. O estudo da dinâmica do sistema de trânsito e como atuam e o que pensam seus atores (pedestres, motoristas, caminhoneiros, motoqueiros, ciclistas) deram origem ao ensaio inédito Fé em Deus e pé na tabua – ou como e por que o trânsito enlouquece no Brasil, do antropólogo Roberto DaMatta. O livro é resultado das pesquisas encomendadas pelo governo do estado do Espírito Santo. O levantamento, realizado como parte do projeto Igualdade no Trânsito, foi feito entre maio de 2007 e janeiro de 2008, e tinha, entre seus instrumentos de coleta de informação, entrevistas qualitativas com motoristas, pedestres e outros usuários do espaço público. Roberto DaMatta traça um panorama preocupante do comportamento do brasileiro – não só no volante, mas para além dele. Um comportamento com raízes profundas na constituição cultural do brasileiro. É a cultura da casa – onde reside o personalismo, a leniência e um sentido de autoridade – levada para a rua – onde as regras devem funcionar da mesma forma para todo mundo, para manutenção da ordem social. No Brasil, no entanto, os "donos da rua" fazem suas vítimas – nesta dinâmica, os pedestres –, cidadãos sem direito de exercer sua cidadania com a igualdade que um espaço que é de todos pede. Com a lucidez de grande analista, Roberto DaMatta produz uma sociologia do trânsito e mostra um cenário que, embora seja duro de contemplar, desafia Estado e sociedade a deixarem para trás antigas práticas na busca de soluções.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Seção 1
Seção 2
Seção 3
Seção 4
Seção 5
Seção 6
Seção 7
Seção 8
Seção 10
Seção 11
Seção 12
Seção 13
Seção 14
Seção 15
Seção 16
Seção 17

Seção 9
Seção 18

Sobre o autor (2012)

Roberto DaMatta foi professor do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde dirigiu o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Mestre e doutor pela Universidade de Harvard, também chefiou o Departamento de Antropologia e foi professor de Antropologia da Universidade de Notre Dame (EUA). Em 1995, começou a escrever crônicas para o Jornal da Tarde, de São Paulo, e a partir de 2001 passou a colaborar com o jornal O Estado de S. Paulo. É autor de mais de dez livros, todos publicados pela Rocco.

Informações bibliográficas