Obra aberta: Forma e indeterminação nas poéticas contemporâneas

Capa
Editora Perspectiva S.A., 1 de jun. de 2016 - 352 páginas
Enfoque revolucionário e atual dos problemas da estética e da teoria da informação, este livro é uma leitura obrigatória para todo aquele que, de algum modo, se ocupa da literatura, do teatro, da crítica, da publicidade, do design industrial e das artes plásticas, entre outras áreas. - As sucessivas reedições e o papel que desempenharam na formação e no debate de ideias, bem como na visão e na escritura de mundo que a antropologia, a semiótica e a tecnologia instituíram no Brasil como marcos e critérios de contemporaneidade, subscrevem em sua totalidade a leitura desta Obra Aberta que a editora Perspectiva fez e cuja validade esta nova edição, revista e ampliada, confirma plenamente.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Seção 9
Seção 10
Seção 11
Seção 12
Seção 13
Seção 14
Seção 15
Direitos autorais

Termos e frases comuns

Sobre o autor (2016)

Umberto Eco (1932-2016), filósofo, linguista e escritor, estudou Filosofia na Universidade de Turim e foi professor de Semiótica na Universidade de Bolonha. Seus ensaios são dedicados a temas como estética, semiótica, filosofia da linguagem, sociologia da cultura e teoria da literatura e da arte. Entre eles destacam-se "Obra Aberta", "Apocalípticos e Integrados", "A Estrutura Ausente", "As Formas do Conteúdo", "Signos de Três", entre outros. É autor também de "O Nome da Rosa", ambientado num mosteiro medieval, e "O Pêndulo de Foucault", um romance das ideias, sobre a relação entre razão e irracionalismo.

Informações bibliográficas