Anotações de um fotógrafo experimental

Capa
Guilherme Maranhao, 25 de dez. de 2021 - 235 páginas
0 Resenhas
As avaliações não são verificadas, mas o Google confere e remove conteúdo falso quando ele é identificado

Esse livro é uma coleção das minhas anotações e reflexões sobre diversos processos fotográficos experimentais. Falo bastante de fotografia analógica, mas também discuto processos experimentais na fotografia digital. Conto a história de trabalhos mais conhecidos como Travessia ou Pluracidades, mas falo também de pequenas reformas que fiz aparelhos diversos. 

Modo de usar: Esse livro não contém tutoriais nem fórmulas e/ou receitas. Esse livro tem formatação fixa e orientação paisagem, portanto é mais agradável de ser lido em tela maiores, como em tablets e computadores.

Toda a renda obtida com a venda do e-book será usada para impressão de cópias desse livro. Essas, por sua vez, serão distribuídas para bibliotecas de acesso público. 

 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Seção 1
24
Seção 2
42
Seção 3
43
Seção 4
93
Seção 5
94
Seção 6
98
Seção 7
112
Seção 8
115
Seção 10
148
Seção 11
154
Seção 12
160
Seção 13
173
Seção 14
176
Seção 15
194
Seção 16
196
Seção 17
197

Seção 9
121
Seção 18
224

Sobre o autor (2021)

Guilherme Maranhão se interessa por criar fotografias do cotidiano e dos ciclos de vida do que habita ao seu redor. Relaciona isso ao reaproveitamento do lixo eletrônico e dos equipamentos e materiais da fotografia através das pesquisas de técnica fotográfica que suportam o seu trabalho. Em paralelo se interessa por compartilhar esses conhecimentos sobre equipamentos em processo de obsolescência em workshops e oficinas. Também se interessa por registrar as histórias de outras pessoas que produzem imagens fotográficas e suas experiências.

Realizou exposições individuais no Itaú Cultural e na Casa da Imagem, em São Paulo, no Ateliê da Imagem, no Rio de Janeiro e na Gallery 44, em Toronto. Entre outras exposições coletivas, participou da Desidentidad no IVAM, em Valencia, Geração 00, no Sesc Belenzinho e Elogio da Vertigem, na MEP, Paris. Recebeu os prêmios Porto Seguro e Marc Ferrez.

Informações bibliográficas