Tractatus ethico-politicus

Capa
EDIPUCRS - 224 páginas
1 Resenha
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

O Tractatus ethico-politicus iniciou, graças ao apoio decisivo do CNPq (Bolsa de Produtividade em Pesquisa desde 1995), um programa de investigação crítico-teorética de reconstrução normativa (perspectivismo semântico-transcendental, construcionismo social mitigado, neuroética e neurofilosofia social, realismo platônico-matemático). O primeiro Tractatus se propôs a esboçar uma reconstrução genealógico-normativa do ethos moderno, irredutível a uma história natural do animal humano ou a uma doutrina moral abrangente, teológica, antropológico-filosófica ou a quaisquer outras tentativas de reformular uma metafísica prática. O segundo Tractatus (T. practico-theoreticus) revisita o problema da praxis e sua irredutibilidade a uma teoria (ético-normativa ou outra), na própria divisão da filosofia nos termos de seus objetos clássicos de investigação –o verdadeiro, o bem e o belo; theoria, praxis e poiesis; filosofia teórica, prática e estética. A emergência de novos termos para designar disciplinas tais como a epistemologia moral e a metaética no século XX, assim como a filosofia da linguagem e a filosofia da mente em filosofia teórica, nos remete não tanto ao surgimento de novos objetos ou problemas filosóficos quanto a novas maneiras de abordá-los, ou simplesmente a novas perspectivas. Embora não tivesse a pretensão de adentrar em questões ontológico-sistemáticas e semântico-estruturais, como aprendemos de grandes propostas que revisitam a metafísica tradicional e problemas contemporâneos de filosofia analítica e continental, a nossa modesta abordagem de uma filosofia social enquanto “filosofia primeira” não se esquivará de futuros embates com as grandes questões da ontologia, epistemologia e estética --em parte, explorados num terceiro Tractatus (T. politico-theologicus) -- ambos tratados estão disponibilizados como e-books no link da Editora Fi: <http://www.editorafi.org/tratactusnythamar> 

Conteúdo

INTRODUÇÃO
11
HERÁCLITO HEIDEGGER E
19
A mundanidade do mundo
30
O ethos ecológico do ser mundano
36
A imortalidade da alma e a polis dos mortais
42
O problema do naturalismo ético
48
Kant como árbitro entre Hobbes Locke e Rousseau
54
Liberalismo e contrato em Kant
62
Crítica genealógica da moral
119
Crítica genealógica da filosofia política
125
Crítica genealógica da modernidade
131
VI
137
Genealogia história e poder
148
Modernidade hermenêutica e subjetivação
154
VII
163
A crítica rawlsiana à teoria kantiana da justiça
172

A fundamentação moral do político em Kant
78
A eticidade em Hegel
87
A fundamentação éticonormativa da filosofia
94
V
101
verdade e método
107
O construtivismo político de John Rawls
182
VIII
189
Problemas analíticohermenêuticos
199
A presentação do mundo
208
Direitos autorais

Termos e frases comuns

Informações bibliográficas