Texto e coerência

Capa
Cortez, 1989 - 107 páginas
1 Resenha
Nesta obra, os autores procuram demonstrar que a coerência é algo que se estabelece na interação, na interlocução, numa situação comunicativa entre dois usuários. Ela é que faz com que o texto faça sentido para os usuários, devendo ser vista como princípio de interpretabilidade do texto.

De dentro do livro

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Texto e Coerência ¹
O livro “Texto e Coerência” conta com dois autores. Ingedore Villaça Koch é docente do Departamento de Linguística da UNICAMP, bacharel em Direito, licenciada em Letras e mestre
em Ciências Humanas. Luiz Carlos Travaglia é professor de Linguística e Língua Portuguesa na Universidade Federal de Uberlândia, mestre em Letras e doutor em Linguística.
O livro, com 107 páginas, divide-se em: nota introdutória, quatro capítulos, conclusão e bibliografia.
Na nota introdutória é apresentado o objetivo do livro, que é abordar o assunto Coerência Textual. Apresenta ideias principais e estabelece relação entre elas, para chegar a uma visão geral sobre coerência.
No capítulo 1, dividido em três partes, são abordados os conceitos de coerência e a sua relação com a coesão. Na primeira parte desse capítulo os autores expõem os conceitos mais conhecidos de coerência e coesão.
A coerência resume-se à “boa formação do texto” e uma conexão entre os elementos, de modo que leva a interpretabilidade. A coesão refere-se às marcas linguísticas, sintáticas, gramaticais, semânticas e a um bom desenvolvimento das frases.
Na segunda parte desse capítulo são apresentados esses conceitos segundo alguns estudiosos. Para Van Dijk e Kintsch, existem quatro tipos de coerência: a semântica, a sintática, a estilística e a pragmática. Para Tannen, coerência é um “todo significativo”. Nesse mesmo capítulo, cita-se que coesão não garante a coerência.
No capítulo 2 o tema é a Coerência e o Texto. Aqui são respondidas quatro perguntas, entre elas: Há textos incoerentes?
Para alguns estudiosos, coerência gera compreensão dos textos e incoerente é quando o receptor não descobre o seu sentido. Já para Charolles, não há propriamente texto incoerente, pois o receptor sempre age como se ele fosse coerente.
No capítulo 3, dividido em duas partes, comenta-se sobre a Lingüística e os campos de estudo da coerência em várias áreas como, por exemplo, a da Psicologia e a Filosofia.
No capítulo 4 são explicados o que é necessário para se estabelecer coerência. Primeiramente, aparecem os elementos linguísticos que afirmam: é ilusão pensar que com base apenas nas palavras se faz coerência, pois a conversa, os gestos e o olhar também são a base da mesma.
Na sequência e com grande importância aparece o Conhecimento de Mundo, que diz que o estabelecimento do sentido depende do conhecimento dos seus usuários; da sua capacidade de compreensão. É necessário, quando se escreve, que se saiba sobre o conhecimento de mundo daqueles que serão os receptores, ou seja, deve haver conhecimento igual ou linear entre emissor e receptor. Isso
constitui um outro fator de importância para promover a coerência, o Conhecimento Partilhado.
Também são explicados os conceitos de Inferência, Situcionalidade (que designa o encaixe do texto com a situação empregada), Intencionalidade e Aceitabilidade (com relação a emissor e receptor; qual a intenção do remetente e o grau de aceitação do decodificador), Informatividade (a informação deve ser a esperada), Focalização e os Fatores Pragmáticos.
Os fatores pragmáticos são os fatores de regulação e estão associados aos tipos de atos de fala, contexto da situação, interação e interlocução, força ilocucionária, intenção comunicativa, características e crenças ligadas aos emissores e aos receptores.
Na conclusão os autores elaboram uma tabela com todos os fatores estudados no livro e que são capazes de produzir a coerência. Esclarecendo, novamente, que tudo isso gera a interpretabilidade e a compreensão, que são as intenções da coerência.
A bibliografia é extensa e diversificada e, no final do livro, os autores ainda fornecem dois textos para leitura e aprofundamento do conhecimento de mundo a respeito do assunto.
Coerência se faz com embasamento e consciência, por isso, esse livro deve ser indicado para todos os estudantes da área da Língua Portuguesa, para que saibam
 

Conteúdo

Nota introdutória
7
A Coerência e o Texto
26
Linguística do Texto e Coerência
42

2 outras seções não mostradas

Outras edições - Visualizar todos

Termos e frases comuns

Referências a este livro

Todos os resultados da Pesquisa de Livros do Google »

Informações bibliográficas