Por onde andou meu coração: memórias

Capa
J. Olympio, 1967 - 458 páginas

De dentro do livro

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

POR ONDE ANDOU MEU CORAÇÃO
MARIA HELENA CARDOSO
Editora: Civilização Brasileira
Nunca tinha tido qualquer notícia, dei com o livro em banca confusa de supermercado. Foi olhar a capa, ler algumas opiniões e ver que tinha tudo a ver comigo. Li as quase seiscentas páginas em quatro ou cinco dias, economizando no final, como se faz com aquele doce gostoso que não queremos que acabe.
Escrito na década de 60, a autora já sexagenária, não é livro para qualquer leitor. O apressado, o utilitarista, o “modernoso”, não acharão prazer em sua leitura. Os mais atentos, os que valorizam detalhes, sejam da idade que forem, nele mergulharão e reverão ou conhecerão cenas e personagens de épocas que desapareceram, que deixarão sensação de saudade, mesmo sem saber de que.
A autora, nascida em 1903, repassa, sem ordem cronológica, lugares onde viveu, fatos que teve conhecimento, pessoas que conheceu, indo além da mera narrativa de usos e costumes de época. Coloca alma e sentimento em coisas de aparência banal. O cotidiano transformado em poesia, ainda que disfarçada sob a forma de prosa. Em uma das ultimas página me parecia ler um poema de Lorca, tal a força poética emanada de pequeno trecho.
A obra retrata Curvelo/MG do início do século passado, as cidades ao seu derredor, passando depois por uma Belo Horizonte provinciana e por um Rio de Janeiro bucólico, onde “havia casas, galos e quintais”.
Para apreciadores do gênero, os que tem um pé na poesia, que são saudosos mesmo sem saber do que, independente de idade é uma obra imperdível.
Naor Seixas Monte
 

Conteúdo

Seção 1
3
Seção 2
39
Seção 3
40

3 outras seções não mostradas

Outras edições - Visualizar todos

Termos e frases comuns

Informações bibliográficas