Parte petrosa do osso temporal: uma analise do crescimento pre e pos-natal

Capa
Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Curso de Morfologia, Sao Paulo, 2002 - 72 páginas
0 Resenhas
O desenvolvimento do osso temporal nos periodos pre e pos-natal apresenta diferentes padroes de crescimento em relacao as suas regioes, destacando-se a parte petrosa que contem estruturas da orelha media e interna. A proposta deste trabalho foi o estudo da dimensao e da forma das janelas da coclea e do vestibulo, da fossula da janela da coclea, do meato acustico interno, da abertura externa do aqueduto da coclea e do canal carotico, durante o desenvolvimento. O crescimento pre e pos-natal da parte petrosa do osso temporal foi avaliado por meio de moldagens em cranios provenientes de individuos de 4 meses de vida intra-uterina a 89 anos de idade. As janelas da coclea e do vestibulo foram medidas considerando-se seus diametros; a fossula da janela da coclea, as dimensoes das paredes; o meato acustico interno, o comprimento das paredes e diametros no fundo, porcao media e poro; o canal carotico, o diametro na curvatura intrapetrosa. Todas as medidas mencionadas foram realizadas com o uso de paquimetro digital. A area da abertura do aqueduto da coclea e os angulos formados na porcao intrapetrosa do canal carotico foram medidos por meio de programas de imagem computadorizados. Os resultados mostraram que, o tamanho e a forma destas estruturas variam de acordo com a regiao, destacando-se um crescimento gradual de estruturas superficiais da capsula otica com o aumento da idade. Portanto, ocorrem ajustes de tamanho, forma e disposicao destas estruturas do osso temporal durante o crescimento cranio-encefalico. Tais ajustes visam adaptacoes das estruturas em torno da orelha interna cujas dimensoes ja estao estabelecidas em fases de vida intra-uterina ou ao nascimento.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas