Orgia: os diários de Tulio Carella, Recife, 1960

Capa
Opera Prima, 2011 - 307 páginas
Os diários de Tulio Carella (1919-1972) tendem revelar o cotidiano do Recife no ano de 1960, onde o autor se apaixonou pela beleza de seus negros e mestiços, e assim passou a experimentar vivência homossexual, além de contar sobre a inauguração de Brasília e a eleição do esquerdista Miguel Arraes para prefeito da capital pernambucana. Nos embates pré-ditadura militar brasileira, Carella, convidado pela Universidade Federal de Pernambuco para dar aulas de teatro, foi erroneamente identificado pelas autoridades militares como contrabandista de armas de Cuba revolucionária. Porém seus encontros 'suspeitos' com tipos populares eram de natureza afetiva ou sexual. Até isto ser descoberto, pelos próprios manuscritos de seus diários, o escritor e professor passou quinze dias sob prisão e tortura, sendo logo depois deportado para seu país natal.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas