O plano divino através dos séculos: estudo das dispensações

Capa
Casa Publicadora das Assembléias de Deus, 1963 - 124 páginas
1 Resenha

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Que é uma dispensação?
Segundo o Dr. Schofield: ”Uma dispensação é um período de tempo durante o qual o homem é provado á respeito de sua obediência para com uma determinada revelação da vontade de
Deus”. Deus dotou suas criaturas de livre arbítrio e, por conseguinte essa vontade precisa ser provada para que seja determinado se estará em concordância com Deus ou em desobediência a Ele. Após a queda de Satanás, o homem, a nova criatura que acabava de ser criada por Deus, necessariamente teria que ser provada. Portanto o que lemos no livro de Gênesis acerca da prova e queda do homem no jardim do Éden era coisa esperada. As Dispensações logicamente são vários estágios empregados por Deus para testar o homem.
Estas Dispensações são as seguintes:
1)- A Era da Inocência –
Havia uma comunhão intima entre Deus e o homem conforme Gn 3:8 “Deus andava no jardim pela viração do dia”. Este primeiro homem era perfeito, física, mental e moralmente e em Romanos 3:23 diz que ele tinha a glória de Deus.
2)- A Era da Consciência ou Edênica –
Esta Dispensação durou desde a Queda do Homem até os dias de Noé (Gênesis 3:1 até Gênesis 8:14).
Deus concedeu ao homem plena inteligência, intuição e capacidade administrativa pelas quais regeria toda a criação e certas obrigações lhe foram impostas, tais como: ocupar a terra, comer somente ervas e frutas, guardar o jardim e abster-se de comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Por ter o livre arbítrio, a sua escolha seria o meio de provar essa liberdade. Adão desobedeceu, mas foi muito bem advertido sobre as conseqüências: “no dia em que dela comeres, certamente morreras”. Gn. 2:17. Havendo perdido a filiação de Deus e estando separado daquela vida que vem do Criador, e tendo recebido em seu ser o veneno do pecado, e estando sujeito a Satanás, o homem expulso do Éden perdeu a inocência. Mas Deus proveu uma Aliança (oferta) pela qual o homem poderia reencontrar a pureza e a comunhão com Deus. Essa Aliança celebrada no Éden foi à solução divina para o problema do pecado que surgiu com a queda do homem Gn 3:15. Foi instituído o sacrifício de animais para perdão dos pecados, numa alusão ao cordeiro pascal que é Cristo. Sete, Enoque, Noé e outros da linhagem piedosa mantiveram esse costume durante todo o período anti-diluviano por maios de 1500 anos Hb 11:4-7.
3)- A Era do Governo Humano ( Pós Diluviano)
A duração desta dispensação foi desde o tempo do dilúvio até a dispersão na Torre de Babel, Gn 8:15 até Gn 11:10-19.
Após sair da Arca Noé levantou um altar com sacrifício de sangue Gn 8:20, Deus atendeu seu servo e deu-lhe os termos da nova Aliança:
a) Deus não mais amaldiçoaria a Terra.
b)Deus não mais feriria todos os seres viventes como acabara de fazer.
c) Enquanto durasse a Terra, haveria sementeira e ceifa, dia e noite, frio e calor, verão e inverno.
d)Não destruiria a terra por meio das águas.
e)O homem deveria se multiplicar e encher a terra.
f)Instituição do Governo Humano que serviria para frear os delitos dos ímpios. “A ordem divina foi esta: Se alguém derramar o sangue do homem pelo homem se derramará o seu” Gn 9:6.
O fim desta Dispensação veio com a confusão de línguas, obrigando os homens a se espalharem sobre a terra e não maquinarem mais a idéia de tolitarismo contra Deus Gn 11:5-7.
4)- A Era Patriarcal
Esta Dispensação teve inicio com a promessa (aliança) de Deus com Abraão até quando Israel saiu do Egito, Gn 12:1 até Êxodo 18:27.
Nesta Dispensação através de Abraão a Terra seria abençoada, fazendo seu nome ser grande e sua semente como as estrelas e fazê-lo pai de uma grande nação (Israel) dando-lhe possessão da terra de Canaã. O propósito de Deus nesta Dispensação é fazer de Abraão um exemplo e modelo de fé.
5)- A Era da Lei - Mosaica
O período de abrangência desta Dispensação é desde a saída de Israel do Egito até a crucificação de Jesus Cristo João 1:17. Os propósitos
 

Informações bibliográficas