O cadete e o capitão: A vida de Jair Bolsonaro no quartel

Capa
Todavia, 27 de jul. de 2019 - 256 páginas
Uma investigação sobre um momento controverso na trajetória de Jair Bolsonaro: o abandono da carreira militar e o ingresso na vida política. Jair Bolsonaro tornou-se uma figura pública em 1986, quando assinou na revista Veja um artigo em que reclamava do baixo soldo pago aos militares. Um ano depois, nas páginas da mesma revista, reapareceu numa reportagem que revelava um plano de estourar bombas em locais estratégicos do Rio de Janeiro. A revista publicou um desenho que detalhava o plano. O croqui, supostamente de autoria do capitão, comprovaria a conspiração em curso no Exército. Instado a prestar contas, Bolsonaro foi considerado culpado no primeiro julgamento, e mais tarde inocentado pelo Superior Tribunal Militar (stm). Após a decisão da corte, deixou a farda, passou à reserva e ingressou na política. Esta é a reportagem mais completa já escrita sobre esse período pouco conhecido. O autor examinou a documentação do processo (reproduzida no livro) e escutou as mais de cinco horas de áudio da sessão secreta — ambos disponíveis no stm. Também entrevistou personagens que atuaram no caso, entre jornalistas de Veja e militares colegas de Bolsonaro. Além de reunir indícios suficientes para apontar que a autoria do croqui, como sustentou Veja até o fim, era mesmo do capitão, Maklouf reconstitui um episódio decisivo não apenas para a trajetória do presidente eleito em 2018, mas também para a redemocratização e o jornalismo no Brasil.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Conteúdo

Seção 1
372
Seção 2
376
Seção 3
383
Seção 4
389
Seção 5
399
Seção 6
402
Seção 7
405
Seção 8
408
Seção 14
460
Seção 15
475
Seção 16
483
Seção 17
509
Seção 18
Seção 19
Seção 20
Seção 21

Seção 9
411
Seção 10
423
Seção 11
434
Seção 12
440
Seção 13
455
Seção 22
Seção 23
Seção 24
Seção 25
Seção 26

Sobre o autor (2019)

Luiz Maklouf Carvalho nasceu em Belém, em 1953. Bacharel em direito pela Universidade Federal do Pará, é autor de Mulheres que foram à luta armada, entre outros livros. Desde 2016 é repórter de O Estado de S. Paulo.

Informações bibliográficas