O ócio criativo: entrevista a Maria Serena Palieri ; [tradução Léa Manzi].

Capa
Sextante, 2000 - 328 páginas
5 Resenhas
As avaliações não são verificadas, mas o Google confere e remove conteúdo falso quando ele é identificado

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Avaliações de usuários

5 estrelas
3
4 estrelas
2
3 estrelas
0
2 estrelas
0
1 estrela
0

As avaliações não são verificadas, mas o Google confere e remove conteúdo falso quando ele é identificado
Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

O Ócio Criativo: entrevista a Maria Serena Palieri é um convite a reflexão da nossa sociedade. A exposição de ideias com um novo caminho, sendo guiado para um futuro próximo onde homens e mulheres solucionariam a insana correria do dia a dia. Ideias sobre a sociedade e o trabalho compartilhado, vão sendo apresentadas no livro como uma necessidade da era pós-industrial; é leitura obrigatória para adoradores de sociologia e pessoas que buscam o equilíbrio da vida pessoal, familiar e profissional.
Atrelando conceitos chaves como facilidade de locomoção, tempo de deslocamento, prazer no trabalho, prazer em colaborar em projetos que tenham uma artéria diferenciada, diversão ao encontrar amigos, colegas e as novidades do caminho da vida. De Masi fala da ausência de emprego, da globalização desenfreada, de como as tecnologias facilitam a vida desde que sejamos capazes de administrar sua utilização, das veias criativas que temos e abafamos. E é claro de como o ócio pode ser criativo desde que administrado. Mesmo sendo palavras tão distantes, elas são complementares.
Durante a entrevista, De Masi mostra como é possível e comprovado administrar a vida moderna, os desejos, as obrigações, as aspirações de trabalho, estudo e lazer de maneira leve e divertida. Apresenta inúmeras vezes, as consequências históricas de mudanças que aconteceram nos últimos anos na sociedade pós-industrial.
O livro é um convite a reflexão de como gerenciamos a vida, compilado e bem estruturado. A grande sacada do entrevistado italiano é que podemos produzir aquela sensação de alegria, leveza e dever cumprido ao administrar bem o nosso tempo.
Afinal, é possível trabalharmos, estudarmos e nos divertirmos? É possível trabalhar com criatividade? Algo que temos diferente de computadores, eletrônicos e da inteligência artificiais. Ao ouvir a palavra ócio, muitas vezes temos a sensação de inércia e de paralisação. É justamente ao contrário a proposta do italiano, o pano de fundo é a idolatria do trabalho. Nada contra ser workaholic. Afinal, cada um com sua meta. Mas para entrar em estado de graça, precisamos ser, estar e viver em plenitude. E ser pleno nas diversas áreas da vida já dá trabalhão.
 

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Excelente abordagem do assunto: trabalho-produção-ignorancia x ócio-criatividade-produção de tecnologia.
Leitura obrigatória

Informações bibliográficas