Multidão guerra e democracia na era do império

Capa
Record, 2005 - 530 páginas
A quantas anda o imperialismo na era do Império Americano? Muitos afirmam que a guerra unilateral contra o terrorismo promovida pelos Estados Unidos prova que o imperialismo à velha maneira continua vivo e atuante. Depois de analisarem a nova ordem política da globalização em Império — sucesso absoluto de crítica e público, com dezenas de milhares de exemplares vendidos — , em Multidão, Hardt e Negri sustentam que é o contrário que acontece: os terríveis fracassos do projeto americano vêm confirmar que a única maneira de ricos e poderosos preservarem seus interesses e assegurarem a ordem global é estabelecer uma ampla colaboração entre as potências dominantes, numa nova forma de Império. Mas esta paz imperial de forma alguma constitui uma solução para a maior parte do mundo. Esta paz serve na realidade para manter globalmente um estado de violência que vem progressivamente permeando todos os aspectos de nossa sociedade, exacerbando hierarquias e subvertendo as possibilidades tradicionais de troca democrática. Será que o medo transformou-se em nossa condição permanente e a democracia, num sonho impossível? Semelhante pessimismo é profundamente equivocado, sustentam Hardt e Negri. Ao colonizar e interligar de maneira cada vez mais profunda um número maior de áreas da vida, o Império está na realidade criando a possibilidade de um novo tipo de democracia. Convergindo numa comunidade globalmente interligada em redes, diferentes grupos e indivíduos podem associar-se em fluidas matrizes de resistência; deixando de constituir ‘massas’ silenciosas e oprimidas, podem formar uma multidão, com o poder de forjar uma alternativa democrática à atual ordem mundial.Arrebatador em seu otimismo, no alcance e na profundidade de sua visão, Multidão confirma Hardt e Negri como dois dos mais interessantes e importantes filósofos políticos em atividade no mundo.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas