Metodologia do ensino de língua portuguesa

Capa
INTERSABERES - 216 páginas
1 Resenha
Voltada a professores das séries iniciais, esta obra tem como principal objetivo orientar o leitor para melhorar as práticas de ensino da língua materna às crianças. Seus quatro capítulos trazem as principais teorias e metodologias para tornar o aprendizado e as atividades em sala de aula mais eficientes.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

"...pois é através do domínio da leitura e escrita que o aluno aprenderá as outras disciplinas. A formação de um bom leitor, de um bom leitor da palavra e de um bom leitor de mundo deve ser o principal objetivo do ensino fundamental. Pois aquele que bem interpreta a palavra bem interpretará as coisas e os fatos do mundo, e, assim, melhor condição terá para no mundo viver bem".
Para René Descartes o cérebro era apenas uma máquina e não tinha nenhuma relação com o pensamento. Considerava que a mente, a linguagem e o pensamento eram uma coisa só.
Nietzsche foi o principal filósofo que questionou a mais famosa dedução "racionalista" de Descartes: "Penso, logo existo".
Para Nietzsche toda linguagem é um tipo de "mentira", engana.
Francis Bacon, adotando o empirismo inglês, defendia uma tríade dividida em alma, mente e matéria, porém criticado pela falta de rigor científico de seus métodos.
Outro expoente do empirismo foi John Locke, o qual considera a mente ser uma tábula rasa.
O racionalismo sobreviveu até 1849, quando Claude Minié inventou a bala cônica, o que favoreceu a quase recuperação de feridos de guerra.
 

Informações bibliográficas