Formação econômica do Brasil

Capa
Companhia das Letras, 2007 - 351 páginas
4 Resenhas
'Formação econômica do Brasil' apóia-se numa visão derivada tanto da história como da economia. O texto se inicia com a análise da ocupação do território brasileiro, comparada também com as colônias do hemisfério norte e das Antilhas. Seguem-se os ciclos do açúcar, da pecuária, do ouro, a ascensão da economia cafeeira, e, no século XX, a crise da cafeicultura e a industrialização, cuja especificidade o autor trata com excepcional clareza. Em paralelo aos cinco séculos de história econômica, Celso Furtado estuda a evolução da mão-de-obra no Brasil, desde a escravidão até o trabalho assalariado, o dos imigrantes europeus e o dos migrantes internos. Na conclusão, aponta os dois desafios a serem enfrentados até o fim do século XX.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Celso Furtado: Aprendendo economia com o passado
Por Christopher Rodrigues (*)
Nenhum historiador econômico, como já é de conhecimento de muitos especialistas, jamais reuniu em uma só obra tantos detalhes e informações a respeito do passado econômico brasileiro como o economista político Celso Furtado em seu livro "Formação Econômica do Brasil".
Com 246 páginas e 36 capítulos, o livro descreve as várias etapas da nossa economia que vão desde o momento de ocupação territorial até o início do processo de industrialização na década de 1930. O autor trata com ênfase a organização e os problemas da economia açucareira de mão-de-obra escrava, a gestação do sistema cafeeiro com o advento do trabalho assalariado e os períodos de crise que abalaram o Brasil e o mundo.
O mais interessante, na minha avaliação, foi o fato de Celso Furtado comparar o desenvolvimento brasileiro com a formação de colônias de povoamento e de exploração nas Antilhas e na América do Norte. Além disso, o autor faz um tipo análise que justifica os fatores puramente políticos e econômicos, atacando, assim, conceitos baseados em raça e localização geográfica que, por muito tempo, foram usados como justificativa de superioridade e pretexto para a colonização e a utilização de negros e nativos no trabalho escravo.
Um livro que vale a pena ser lido por todos aqueles que gostam e se interessam pela história econômica. Além disso, apresenta uma grande importância, especialmente, para estudantes ingressos nos cursos de ciências econômicas e sociais.
As muitas informações trazidas por esse livro explicitam a configuração atual do nosso país. As dificuldades para alavancar o desenvolvimento, as desigualdades sociais e regionais, o poder oligárquico tradicional, os profundos problemas macro e microeconômicos e muitos outros fatores marcam e sempre marcaram o atraso relativo da nação brasileira em relação aos países considerados desenvolvidos.
A obra é simplesmente fantástica, nunca vi nada igual! Tenho certeza que aqueles que admiram a disciplina conhecida como história, serão felizes ao se encontrar com o riquíssimo conteúdo que no livro consta. Não há dúvida que todos que leem o livro terão uma maravilhosa experiência e conhecimento garantido.
(*) Estuda economia na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).
Ver blog: http://virtudecidadania.blogspot.com.br/2012/01/aprendendo-economia-com-o-passado.html
 

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

hyjfjkdoodlddmjndbhb khvg bxnxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxwhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

Outras edições - Visualizar todos

Informações bibliográficas