Eu não sou cachorro, não: música popular cafona e ditadura militar

Capa
Editora Record, 2002 - 458 páginas
1 Resenha
Este não é um livro apenas sobre música. Paulo César de Araújo defende uma causa que nunca ninguém defendeu, abordando assuntos perigosos, documentos comprometedores, revelações surpreendentes sobre um importante capítulo da história do Brasil e da música popular brasileira. O autor mostra como os cantores considerados 'cafonas' dos anos 70, foram censurados, apanharam da direita, enfrentaram o exílio. Ele escolheu a música popular daquela época para descrever o clima da época, a ditadura militar. No livro aparecem comentários de Waldik Soriano sobre a tortura, Odair José falando sobre maconha, além de contar com relatos de outros artistas da época como Agnaldo Timóteo, Lindomar Castilho, Dom e Ravel.

De dentro do livro

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Sou Filho do Cantor Waldir Ramos ° O Mito Negro. Meu nome é Waldirley Ramos. Infelizmente pai morreu de câncer no Rio de Janeiro quando eu tinha 10 anos. Infelizmente hj estou triste pois não tive condições de poder hoje visitar o seu túmulo na Ilha do Governador. Mpara saber mais sobre meu Pai. Meu Número: 89 999396839. 

Conteúdo

Seção 1
Seção 2
Seção 3
Direitos autorais

14 outras seções não mostradas

Termos e frases comuns

Referências a este livro

Informações bibliográficas