De Musica Ligeira

Capa
TINTA NEGRA - 208 páginas
Dylan, um professor de piano autista, e Julia, sua ex-aluna, encontram-se por acaso em Madri e, de forma casual, dividem suas memórias e aflições. Para ambos, a música tem impacto e influência direta na forma de agir e pensar, especialmente para o professor, que foi batizado como Bob Dylan pelo pai, que é fascinado pelo cantor. Sua dificuldade de se comunicar por meio de palavras resulta num mutismo, que é superado com a ajuda de seu dom de tocar piano. No livro, destacam-se também temas recorrentes, como a relação dos protagonistas com a solidão, a aceitação social, o abuso do álcool e das drogas para representar a inclusão em algum movimento que exige tais comportamentos. A autora enfoca o papel fundamental que a música exerce como modeladora de identidade, atuando no resgate de memórias e solução de problemas. A música, desde Bob Dylan, Sex Pistols, Nirvana e Beethoven até The Smiths, Dire Straits e Madonna, acompanha os diálogos a fim de demarcar sentimentos e épocas.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas