Clarice Lispector e Orlanda Amarilis: solidão e resistência

Capa
2001 - 144 páginas
0 Resenhas
Este estudo examina a literatura feminina, mais especificamente, alguns contos de Clarice Lispector e Orlanda Amarilis, considerando as situações históricas, sociais e geográficas dos seus espaços de origem: Brasil e Cabo Verde. O trabalho toma por base os contos Mas vai chover, da brasileira Clarice Lispector e Thonon-les-Bains, da caboverdiana Orlanda Amarilis, desenvolvendo estudo comparativo das respectivas personagens femininas, consideradas sobretudo nas suas relações de gênero (gender). Demais textos das autoras serão analisados como complementação às propostas anteriormente expostas, no sentido de se demonstrar como a mulher, nas narrativas analisadas, desenvolve uma luta de conquista pelos seus direitos e acaba vivendo em estado de solidão. As personagens de Clarice Lispector, vivendo numa cidade aberta como o Rio de Janeiro, encontram eco nas personagens de Orlanda Amarilis, recém-saídas de um contexto de colonização e opressão. Vemos assim que, apesar dos avanços a mulher- personagem experimenta, ainda nos anos 70 do século XX, a violência e humilhação, passando por situações difíceis, e na maior parte das vezes, calada e sozinha. Para desenvolver tais propostas, uma primeira parte, de "Introdução", apresenta uma série de afirmações sobre a mulher, onde filósofos, escritores, doutores e santos expõem um variado leque de posturas preconceituosas. Aí também apresentamos as questões referentes à "Solidão e Resistência," pala.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas