Cidades imaginárias: o Brasil é menos urbano do que se calcula

Capa
Autores Associados, 2002 - 304 páginas
4 Resenhas
A necessidade de se romper com a precariedade que domina a visão oficial sobre o desenvolvimento territorial do Brasil é a mensagem mais freqüente nos 60 artigos selecionados para compor este livro, entre os 120 publicados pelo jornal O Estado de S. Paulo.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Conteúdo

r Cidades Imaginárias
31
T J Estatuto mantém entulho getulista que produz
55
O Brasil é menos urbano do que se calcula
63
_ Vilão do desenvolvimento rural
71
Jornalistas perdidos no espaço Profissionais confundem caráter
75
Terceira geração do desenvolvimento rural Comunidades rurais tornamse mais
91
j sj Choque de mentalidades na agropecuária
105
Estratégias implicam opção preferencial entre o agronegócio e o desenvolvimento humano
113
j A proliferação dos formigueiros
171
Quina Ecológica
187
Biodiversidade e resiliência
195
Onde se cria mais emprego?
209
Caminhos da redução da pobreza
217
Desvendando segredos
225
Importa o dinamismo da empresa não
233
Uma nova concepção de política social
241

Município com mais alto índice de desenvolvimento humano do País mostra a vantagem da agricultura familiar
121
Expansão da agricultura familiar Base para crescimento agrícola com redução
129
j rj r Pronaf avança apesar de sabotagens
137
O padrão Binswanger
149
Licença para poluir França resiste à fórmula cínica nascida nos EUA como
155
Incitações à ecoeficiência
163
Cenários da SAE para 2020 _
249
Estudo publicado pela OCDE aponta prováveis rumos
255
O jogo duplo dos ricos
263
Uma nova era de ouro?
271
Direitos autorais

Outras edições - Visualizar todos

Termos e frases comuns

Referências a este livro

Todos os resultados da Pesquisa de Livros do Google »

Informações bibliográficas