Caixa de Areia

Capa
Joao Lucas de Oliveira Pereira, 2020 - 208 páginas
No ano de 2005, a fictícia cidade de Waterfall ficou marcada por matanças brutais de um assassino em série, apelidado pela mídia como "O Destrinchador da Cachoeira", que assassinava suas vítimas marcando numerais em seus corpos. Quinze anos mais tarde, crimes similares e sem nenhuma explicação lógica começaram a acontecer com a família da professora Claire Walter, após a adoção de um pequeno gato angorá branco, chamado Bobby, para o seu filho Jhony.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Usando de elementos já consagrados em grandes obras do gênero de uma forma cativante e coesa, "Caixa de Areia" possui uma leitura dinâmica, que prende a atenção e o fôlego do leitor e constrói seu clímax de maneira perspicaz e eficiente.
Apesar de certos temas abordados serem um tanto grotescos em uma primeira análise, o autor utiliza de artifícios para dar aos mesmos a sensibilidade que merecem, trazendo ao leitor o ponto de vista dos personagens sobre situações sérias e recorrentes até os dias de hoje, levando a estas uma retratação cabível à época abordada e às consequências previstas.
O autor João Lucas certamente acertou em cheio em seu trabalho de estreia, e provavelmente terá seu nome muito comentado pelas editoras nos próximos anos.
 

Informações bibliográficas