Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador

Capa
Casa do Psicólogo, 2002 - 282 páginas
3 Resenhas
Apesar dos primeiros estudos sobre a síndrome de burnout surgirem no cenário internacional no final da década de 60, passando a se consolidar na década seguinte, em nosso país, mesmo sendo prevista como doença do trabalho, ainda é desconhecida entre boa parte de nossos profissionais. O burnout é um processo que se dá em resposta à cronificação do estresse ocupacional, trazendo consigo conseqüências negativas tanto individual como profissional, familiar e social. Na esfera institucional, os efeitos do burnout se fazem sentir tanto na diminuição da produção como na qualidade do trabalho executado, no aumento do absenteísmo, na alta rotatividade, no incremento de acidentes ocupacionais, denegrindo a imagem desta e trazendo prejuízos financeiros. Este livro é fruto da dedicação de profissionais que acreditam que o mundo do trabalho possa se instituir num espaço de prazer, além do de subsistência de vida e não apenas de sofrimento e perda da saúde, podendo constituir-se, consequentemente, como parte de uma existência com qualidade.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

TRABALHO

Conteúdo

Prefácio
9
Capítulo 3
35
Síndrome de burnout em fisioterapeutas e académicos
93
Capítulo 4
114
Capítulo 5
123
o burnout em um grupo de médicos
130
Capítulo 6
157
Capítulo 7
187
Capítulo 8
213
Capítulo 9
227
Capítulo 10
273
Direitos autorais

Termos e frases comuns

Passagens mais conhecidas

Página 265 - YOUNGER, J. & THORNBY, D. (1991). Personality hardiness, ways of coping, social support and burnout in critical care nurses. Journal of Advanced Nursing, 16, 850-857.

Referências a este livro

Informações bibliográficas