As formas do espaço brasileiro

Capa
Jorge Zahar Editor, 2003 - 86 páginas
2 Resenhas
A localização geográfica e as transformações no espaço de um país influenciam sua configuração social e cultural e determinam rumos políticos e econômicos. Esse volume analisa a espacialidade do território brasileiro em conexão com sua história e a conformação de sua sociedade.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Na obra denominada “As Formas do Espaço Brasileiro” de Pedro Pinchas Geiger, podemos obter informações acerca do formato e localização do Brasil e suas influências nas decisões tomadas por sua população para sua utilização. Para tanto o autor dividiu sua obra em oito partes.
Nos primeiros capítulos denominados respectivamente: “Forma geográfica e processo social; Gigante pela própria natureza; A posição e as formas do território; Moro num país tropical abençoado por Deus”, os leitores poderão aprofundar o conhecimento acerca das formas físicas e o posicionamento do Brasil perante os hemisférios. Os quatro primeiros capítulos, especificamente o primeiro explicará a palavra “forma” empregada para dar título à obra. Será de grande valia compreender esse conceito para que posteriormente entenda-se a relação que o autor deseja fazer a respeito do formato dos países e a utilização que se poderá fazer dele baseando-se nos seus benefícios assim como em suas limitações.
No capítulo que segue denominado “o território usado e os meios geográficos”, Geiger utiliza as mesmas expressões utilizadas por Milton Santos (meios geográficos), como ele mesmo pontua. Essas expressões são usadas para auxiliar a compreensão da contextualização histórica baseada na formação do território em relação ao desenvolvimento econômico adotado no Brasil, desde praticamente 1500. O autor nesse capítulo fará uma introdução sobre a constituição do Estado e da Nação brasileira. Essa discussão será posteriormente abordada com maior profundidade nos capítulos finais.
A seguir discutirá a questão de uma história geográfica no capítulo que denominou “Uma pequena história geográfica”. O autor demonstrará a construção do espaço brasileiro a partir do contexto histórico. Poderá notar-se que muitos termos apresentados são utilizados pela influência dos meios técnicos utilizados por Milton Santos. A questão da urbanização brasileira do período de maior intensificação, entre 1940 e 1990 será apresentada nesse capítulo, onde também se poderá notar que a transformação do espaço brasileiro dar-se-á com as exigências do mercado externo, argumentação também defendida por Milton Santos.
Quanto aos capítulos finais: “A flecha Estado - cidade - mercado e cidadania” e “Considerações Finais”, o autor aprofundará o significado de Estado e fará a diferença com o que se refere à formação da Nação. Essa é uma explicação valiosa para as argumentações que são feitas no capítulo uma vez que Geiger, explica como o consumo urbano está ligado a produção industrial e como esse processo se relaciona ao fato do Estado no Brasil ter antecedido a Nação. Explicará o papel do Estado quanto a formação do território e como essa decisão acarretará socialmente e culturalmente o povo brasileiro.
Em suas considerações finais pontuará a importância do formato do Brasil e as tomadas de decisões pela sociedade brasileira, assim como a importância de se identificar a sutil diferença entre Nação e Estado para que se possa compreender a formação do espaço geográfico brasileiro.
A obra nos ajuda compreender a importância de se conhecer, por exemplo, o formato de um continente para saber quais são as possibilidades e limites para atuação dentro dele. O autor explicará com clareza que as formas físicas permitem as construções abstratas realizadas pela sociedade. As formas poderão contribuir com o crescimento demográfico ou então com crescimento econômico, assim como sua diminuição, dependerá de como a sociedade usará os limites de seus territórios.
A obra é valiosa por esclarecer que essa construção permite ao Estado ou a Nação assumir identidades. Há a possiblidade de o Estado delimitar áreas que não caracterizam a identidade da Nação. Assim como poderão existir áreas a partir da identidade do povo com o território. O autor nessa obra nos exemplifica essa questão ao tratar da construção de Brasília em
 

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

A localização geográfica e as transformações no espaço de um país influenciam sua configuração social e cultural e determinam rumos políticos e econômicos. Esse volume analisa a espacialidade do território brasileiro em conexão com sua história e a conformação de sua sociedade

Outras edições - Visualizar todos

Informações bibliográficas