A língua que falamos: Português, história, variação e discurso

Capa
Editora Globo, 2005 - 296 páginas
1 Resenha
No final dos anos 1990, teve início um movimento para a reformulação e a modernização do curso de letras na Universidade de São Paulo. Em 1999, foi introduzido o ciclo básico de estudos, com novas matérias nas áreas de língua portuguesa, lingüística, estudos literários e estudos clássicos que previam uma formação mais sólida para os graduandos. Para língua portuguesa, em especial, foram criadas duas novas disciplinas para atender a esses objetivos; Introdução ao Estudo de Língua Portuguesa (IELP) I e II. Em IELP I, o aluno teria noções sobre a formação histórica do português, suas variedades lingüísticas, a situação do idioma no mundo e, em particular, no Brasil. Já em IELP II, uma visão geral sobre o processo de enunciação e noções de língua falada, este último um vasto campo de estudos nas pesquisas lingüísticas da atualidade. 'A língua que falamos' nasce na esteira desse novo currículo. O livro oferece aos consulentes abordagens ricas e variadas sobre fenômenos lingüísticos do português. Os estudiosos encontrarão neste volume desde um trabalho que focaliza um dos documentos não-literários mais antigos da língua portuguesa, a Notícia de Torto, do século XIII, até outro sobre textos construídos na Internet.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Outras edições - Visualizar todos

Informações bibliográficas