A Estratégia Do Oceano Azul

Capa
Elsevier, 2005 - 241 páginas
Este livro procura apresentar uma maneira diferente de pensar sobre estratégia, resultando em uma criação de novos espaços (o oceano azul) e uma separação da concorrência (o oceano vermelho). Os autores estudaram 150 'ganhadores' e 'perdedores' em 30 indústrias diferentes e viram que explicações consideradas tradicionais não explicavam o método dos 'ganhadores'. O que eles chegaram à conclusão é que empresas que criam novos nichos, fazendo da concorrência um fator irrelevante, encontram um outro caminho para o crescimento. O livro pretende ensinar como colocar em prática essa estratégia.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Avaliações de usuários

5 estrelas
6
4 estrelas
2
3 estrelas
0
2 estrelas
0
1 estrela
0

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

AULA DO CMT ARTHUR. LER PRINCIPALMENTE O CAP VII

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

Neste livro os autores categorizam a concorrência e a criação de novos espaços a partir, respectivamente, dos conceitos de oceano vermelho e azul. Segundos eles, não se deve competir com mercados já existentes (“oceanos vermelhos”), mas sim, buscar oceanos azuis, ou seja, áreas com potenciais inexplorados.
Assim, W Chan Kim e Reneé Mauborgne firmam a ideia de conceitos básicos ligados à administração de negócios, princípios de implementação e diversos outros assuntos sobre a conquista de um crescimento sustentável e lucrativo para o seu negócio.
****
Um trecho: “O primeiro princípio da estratégia do oceano azul é reconstruir as fronteiras do mercado para se libertar da concorrência e criar oceanos azuis. Esse princípio trata dos riscos da busca com o qual se defrontam muitas empresas. O desafio é identificar com sucesso, em meio à pilha de possibilidades existentes, oportunidades de oceano azul comercialmente atraentes. Esse desafio é fundamental, pois os gestores não podem se dar ao luxo de atuarem como jogadores em um cassino, os quais apostam na estratégia apenas com base na intuição ou em palpites.”
***
Por: http://dicadelivro.com.br/
 

Informações bibliográficas