AGÊNCIA DE PROPAGANDA E AS ENGRENAGENS DA HISTÓRIA

Capa
Summus Editorial, 3 de mar de 2006 - 112 páginas
0 Resenhas
Deixando de lado o falso glamour e a badalação comuns ao meio publicitário, Roberto Menna Barreto aborda o fascínio que a publicidade exerce sobre nós e desvenda o pacto entre sedutores e seduzidos que garante o funcionamento do capitalismo atual. O autor analisa o surgimento e a evolução da propaganda, enfocando-a como técnica de controle social. Das primeiras engrenagens da Revolução Industrial ao furor nazista e stalinista, ele mostra que a propaganda, mais que um componente do marketing moderno, fabrica cultura.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Conteúdo

Seção 1
Seção 2
Seção 3
Seção 4
Seção 5
Seção 6

Outras edições - Visualizar todos

Termos e frases comuns

Sobre o autor (2006)

Roberto Menna Barreto é formado pela Faculdade Nacional de Direito. Membro certificado da União Nacional de Analistas Transacionais e da Federação Nacional dos Jornalistas Profissionais, foi conselheiro da Universidade para a Paz, das Nações Unidas. Empresário e escritor, tem dezoito livros publicados, entre eles: Criatividade em propaganda (Summus, 1978, atualmente na 12ª edição); Criatividade no trabalho e na vida (Summus, 1997, eleito pela Câmara Brasileira do Livro uma das dez melhores obras na área de Administração, Economia e Negócios); Idéias sobre idéias (Summus, 2002); Por todos os continentes (Artes e Ofícios, 2003), O copy criativo (Qualitymark, 2004) e Deixa eu falar (Summus, 2006). Colaborador esporádico de várias publicações nacionais, entre as quais Gazeta Mercantil e Jornal do Brasil, já conduziu, em todo o país, mais de 500 seminários de criatividade e gestão de pessoas. Conhece 82 países, nos cinco continentes. Em 1987, morou em Berlim Ocidental, onde organizou mostra permanente de arte popular brasileira.

Informações bibliográficas