Ética nas organizações

Capa
Atlas, 2004 - 184 páginas
1 Resenha
A sociedade brasileira vive nas últimas décadas um surto de preocupação com a ética. NOs anos 90, houve maior demanda da ética por parte da sociedade, devido ao aguçamento de velhas questões, a exemplo do descrédito do povo quanto ao padrão ético dos aparelhos do Estado e à falta de cumprimento das leis, culminando com o impeachment de um Presidente da República, em 1992. ESsa onda de atos e fatos ilegais e/ou imorais tem atingido também as empresas, sempre tidas como avessas a princípios morais. Em que situação elas se encontram quanto à questão? Que valores estão orientando sua prática? Que benefícios uma empresa ética agrega? Pode-se confiar na responsabilidade social que muitas afirmam estar praticando? Que lugar é concedido ao ser humano dentro de uma empresa? Essas e muitas outras questões são abordadas neste livro, que se insere no contexto de tudo o que se discute no mundo atual. ATé porque a sociedade hoje está mais atenta e cobra o fim da impunidade. SEus conceitos podem ser discutidos tanto no meio acadêmico, como no próprio seio familiar, nas organizações públicas, nas empresas e onde quer que pessoas estejam em contexto de grupo. Livro-texto para as disciplinas ÉTICA e RESPONSABILIDADE SOCIAL nos cursos de graduação em Administração de Empresas. LEitura complementar para cursos de pós-graduação das mais diferentes áreas (Administração, Economia, Gestão organizacional e Desenvolvimento humano), pois a ética atravessa todas elas e as discussões trazidas neste livro são do interesse de todos.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Comentário do usuário - Sinalizar como impróprio

PASSOS, Elizete. Ética nas Organizações. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
Elizete Passos: Mestre e doutora em educação, licenciada em Filosofia. Vem realizando, há mais de duas décadas, trabalhos com
ética. Desenvolve seu trabalho em universidades e instituições ligadas ao mundo dos negócios através de pesquisas, palestras e conferências. Atualmente é professora de Ética do Centro de Pós-graduação e Pesquisa da Fundação Visconde de Cairu (CEPPEV) e de Ética Profissional no Curso de Psicologia da Fundação Bahiana para o Desenvolvimento das Ciências (FBDC).
A obra Ética nas Organizações busca não somente explicar o que é ética, mas também definir suas principais doutrinas éticas, como também abordar a forma correta de inseri-las nas empresas. Retrata o perfil ético ideal para as organizações como também para toda sociedade.
No primeiro capítulo, intitulado Reflexões sobre ética, a autora afirma que atualmente existem exigências de valores morais em todas as relações sociais, sejam elas científicas, políticas ou econômicas. O capítulo procura identificar as bases morais da sociedade atual e definir as características das relações humanas. Hoje, a palavra moral foi substituída por ética, por ser mais generalizada e menos relacionada com a cultura. Pode-se dizer que a moral é a prática e a ética a teoria; ou ainda definir o primeiro como objeto, e o segundo, como ciência. Deduzindo-se, assim que a ética é a ciência da moral. A vida humana é constituída de valores morais. Valores geralmente são definidos como honestidade, bondade, justiça ou utilidade; apesar de poderem ser divididos em morais e não morais. Os valores morais são ensinados à determinada sociedade através da família, da escola, da igreja, e dos meios de comunicação, regulando o comportamento das pessoas. Apesar dos valores morais serem ensinados, a sociedade capitalista em que vivemos gerou relações materiais e sociais, onde certas classes desfrutam do poder e outras sofrem as consequências dele. Estas relações fazem com que o egoísmo, a hipocrisia, o lucro e o individualismo sejam incentivados e até cultuados. O ser humano passa a ser apenas uma peça da engrenagem voltada aos interesses do capital. Construir uma nova ordem moral exige alterações na consciência coletiva e nas estruturas sociais, principalmente nas relações de produção e poder. Essas mudanças somente ocorreram caso exista a exigência de uma nova ordem, com novas condições concretas de produção e de vida. A construção de uma nova ordem não depende do esforço individual já que ela é, antes de tudo, um problema político. Nossa atual ordem moral é baseada na imposição de valores, com os quais a sociedade está comprometida apenas com a produtividade, com o lucro desmedido e com o sucesso a qualquer preço. A criação de uma nova ordem moral traria liberdade ao indivíduo, permitindo ao ser humano escolher sua finalidade de viver. Acarretaria em uma transformação social, com a criação de uma sociedade mais justa e igualitária, em que a prática moral seja embasada no respeito mútuo, na honestidade, na igualdade, na solidariedade e no amor.
No capítulo seguinte, denominado Principais Doutrinas Éticas, o objetivo da autora é caracterizar a ética ao longo da história, definindo os principais conceitos de cada doutrina ética. No período clássico, da Idade Antiga, na qual viveram os filósofos Sócrates, Platão e Aristóteles, a ética adquire grande valor. Nesta época, os filósofos questionavam o ser e os problemas sociais e morais, contribuindo para o surgimento da filosofia moral. Após esses acontecimentos, a palavra, a razão e o discurso tornam-se mais importantes do que a condição social do homem. Assim, muitos filósofos passam a viver apenas da arte e da filosofia. O trabalho manual era deixado para os escravos, trabalhar manualmente era inconveniente e desprezível. Homens livres ocupavam-se do intelectual, distanciando ainda mais a teoria da prática, a qual ocupou um
 

Informações bibliográficas